A Comissão Política Concelhia do CDS de Santa Maria da Feira demonstra o seu espanto e indignação pelas atitudes do PSD na campanha para a Junta da União de Lobão, Gião, Louredo e Guisande.

O PSD desrespeitou a lei, sabendo que o fazia, num claro desprezo pelos princípios democráticos básicos que todos deveriam perceber e respeitar com naturalidade.

Emídio Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira tem feito campanha, nessa qualidade, pelo PSD e pelos seus candidatos.

Tem-no feito na rua, à vista de toda a gente, para quem queira ver.

Tem-no feito nos folhetos/manifestos, onde aparece, de forma clara e preto no branco, a sua foto e a legenda como Presidente da Câmara. Nesses folhetos, aparecem também fotos de Victor Marques e Cristina Tenreiro identificados como Vereadores da Câmara Municipal.

Ora, a lei proíbe esta atitude. É claro e simples, não há espaço para dúvidas.

O CDS, num dever de cidadania e de forma responsável, comunicou à Comissão Nacional de Eleições toda esta situação. Fê-lo de forma fiel, retratando apenas e só os factos.

A CNE deliberou, de imediato, suspender a divulgação do folheto do PSD (de folheto pouco tem, será mais uma revista ou um livrinho).

A CNE deliberou, também, notificar o PSD para se pronunciar sobre o teor do folheto, num prazo de 24 horas.

A CNE deliberou, por último, notificar o Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira para se pronunciar sobre o teor do referido folheto, num prazo de 24 horas.

Assim e no fundo, deliberou-se a suspensão a campanha do PSD, pois o porta a porta só acontece para se expor as ideias e os projectos, distribuindo o folheto.

Não havendo folheto, o porta a porta não faz sentido, mesmo que haja muitas esferográficas, aventais, luvas, isqueiros ou até preservativos para distribuir.

Aliás, o PSD sabia muito bem o que estava a fazer. Não estamos perante incompetência mas sim perante uma atitude deliberada e pensada, num estilo de “xico-espertismo”.

Prova disso mesmo é que um novo folheto/livro foi feito de madrugada, mal souberam da denúncia – sabiam do atropelo pela lei – em que tudo ficou igual, apenas alterando-se a página em causa.

E mais uns milhares de euros gastos na campanha… Sim, porque aquele folheto/revista custa milhares e milhares de euros. A título de comparação, o do CDS custou pouco mais de 300€…

E já agora, os folhetos já distribuídos vão ser recolhidos? Pois… é caso para dizer que o crime compensou!

A questão não é tanto se esta ilegalidade captaria muitos ou poucos votos para a lista do PSD.

A questão central aqui é o atropelo total à lei, não por incompetência mas sim por absoluta premeditação, acontecimento aliás recorrente no PSD Feira, bem como o desrespeito pela oposição e fundamentalmente pelos feirenses.

Na política, a seriedade, a verticalidade e a ética têm de continuar como pilares!

Na política não pode valer tudo…

CDS-PP

Comissão Política Concelhia

Santa Maria da Feira