adriorlaOrla costeira valorizada com a criação do GAL Douro Atlântico

 A definição do Grupo de Acção Local (GAL) Douro Atlântico, que congrega os municípios de Espinho, Gondomar e Vila Nova de Gaia, vai valorizar a orla costeira “nem sempre acarinhada como deveria”, defendeu o presidente da Associação para o Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), Emídio Sousa.

O primeiro passo está dado e, estou convicto, de que as populações vão ganhar com esta união de esforços. É fundamental esta cooperação intermunicipal”, disse o também presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, lembrando que a “experiência e competências da ADRITEM, adquiridas no anterior quadro comunitário de apoio, serão determinantes para o sucesso da parceria”.

A cerimónia de assinatura do contrato de parceria que definiu o GAL Douro Atlântico decorreu esta terça-feira na Estação Litoral da Aguda, Arcozelo, concelho de Vila Nova de Gaia.

Neste processo, a ADRITEM assume o papel de entidade gestora, envolvendo Espinho, Gondomar e Vila Nova de Gaia, assim como representantes dos sectores da pesca, de actividades ligadas ao mar, do turismo, do ensino superior, da área social e também ambiental.

A sessão permitirá a submissão à pré-qualificação da parceria para posterior construção de uma estratégia de desenvolvimento local, constituindo a primeira fase do processo de implementação de um instrumento Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC) Costeiro, uma intervenção pioneira no território costeiro e pesqueira de Vila Nova de Gaia, Espinho e Gondomar.

Para a vereadora Leonor Fonseca, da Câmara Municipal de Espinho, esta parceria intermunicipal é “uma oportunidade para a região”, com benefícios directos para as populações. A autarca lembrou que o DLBC possibilitará, entre outros desígnios, a valorização da chamada Arte Xávega, “dada a importância económica e social que esta pesca detém junto das pequenas comunidades piscatórias”.

O município de Gondomar também vê “com bons olhos” o nascimento do GAL Douro Atlântico, segundo o vereador Carlos Brás. “O desenvolvimento dos territórios tem de passar por parcerias e, por isso, aderimos desde a primeira hora a esta iniciativa da ADRITEM”, salientou.

O trabalho em rede que a iniciativa fomenta, “com diversidade de parceiros, envolvendo diferentes áreas de actividade” valoriza o projecto, disse o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues. “Todos juntos, somos mais fortes”, acrescentou.

O GAL Douro Atlântico nasce com o objectivo de “maximizar a abordagem assente nos recursos pesqueiros e costeiros e na diversificação e competitividade da economia do mar”, possibilitando que os agentes locais – e outros ligados às mais diversas áreas – sejam os responsáveis pela construção e execução da estratégia de desenvolvimento local neste território.