europarbeO BE realizou uma conferência de imprensa junto à entrada do Europarque, em Santa Maria da Feira. Nessa iniciativa foi apresentado um requerimento para audição da Ministra das Finanças na Comissão Parlamentar de Orçamento e Finanças(ler aqui), exigindo explicações sobre o pagamento de mais de 30 milhões de euros públicos por dívidas contraídas pela AEP.

Na conferência de imprensa, Pedro Filipe Soares, líder parlamentar bloquista, chamou a atenção para esta situação: “É inaceitável que o Estado diga que não há dinheiro para coisas essenciais como a Saúde ou a Educação e agora pague 30 milhões de euros para pagar a dívida dos patrões. A AEP – os patrões dos patrões – construiu o Europarque que se tornou um enorme elefante branco. Na altura, e de forma completamente injustificada, o Estado foi o fiador dos créditos que a AEP contraiu para a construção. Agora, a irresponsabilidade dos patrões bateu à porta do Estado e o governo paga esta dívida indevida.”

O deputado explicou que a atual Ministra das Finanças “foi quem acompanhou este processo ao longo de todo o mandato deste Governo. Em primeiro lugar, enquanto secretária de estado poderia ter desvinculado o Estado da posição de fiador da AEP, depois, enquanto Ministra das Finanças, cortou em salários e pensões para agora pagar as dívidas dos patrões.”

Por outro lado, os bloquistas querem ouvir Maria Luís Albuquerque sobre os contornos do acordo extrajudicial alcançado entre a AEP e o Estado, considerando inaceitável que se equacione que a possibilidade de entregar o Europarque a uma nova entidade gestora, da qual a AEP faça parte. Pedro Filipe Soares diz que isso “seria entregar o ouro ao bandido”.

Os bloquistas afirmam que este caso é mais um exemplo da irresponsabilidade dos diversos governos na defesa do interesse público e que demonstra “para onde foi o dinheiro, que acaba por ser gasto em obras faraónicas e sem interesse para as pessoas”.

Bloco de Esquerda Comissão Coordenadora Distrital de Aveiro