psfiaes…ou “Irresponsabilidade política e mau exemplo de honestidade”

Em Fiães, no jornal da paróquia “Renovar”, a vogal secretária da Junta de Freguesia presta um péssimo exemplo de seriedade política e mau exemplo de honestidade além de uma clara tentativa de aproveitamento político em utilizar aquele meio comunicativo em para proveito do seu executivo, além de tentar denegrir a acção política do Partido Socialista.

Assinalamos duas falsidades escritas: contrato de comodato e pavilhão da casa do povo, assuntos abordados na assembleia de freguesia de 19 de Setembro de 2014.

Repondo a verdade, sobre o contrato de comodato: para evitar qualquer constrangimento ao Centro Social e à Junta de Freguesia, o PS pediu em diversas ocasiões que o contrato voltasse à Assembleia de Freguesia para o corrigir fazendo cumprir a realidade que ocorria naquela instituição, incluir as novas valências que o Centro Social possui. O contrato apresentado cumpria diversas irregularidades, erros que não devem ser tolerados pois estamos numa era de exigência, o povo exige que sejamos rigorosos! Por isso o PS não consegue admitir erros daquela natureza, erros que este executivo acumula, como assinar um contrato antes do mesmo ser aprovado pelo órgão deliberativo da freguesia de Fiães.

Repondo a verdade, sobre o pavilhão da Casa do Povo: outra situação que pedimos varias vezes para ser discutido em Assembleia de Freguesia pois era necessário revogar uma decisão tomada no passado, pois no tempo do anterior executivo houve uma decisão daquele orgão em demolir a infraestrutura. O PS/Fiães com o pedido de anulação de tal deliberação pretende que seja dada nova utilização aquele espaço, sendo imperativo que se assegure todas as condições de segurança, incluindo a remoção das placas de amianto.

Perante estes factos reais em comparação com o divulgado no jornal da Paróquia, redigido pela vogal secretária do executivo, Isabel Fontes, podemos constatar a habilidade do seu texto além de que contraria o seu colega e presidente da Junta de Freguesia, como demonstra as afirmações prestadas ao Jornal Terras da Feira, notícia do dia 13 de Outubro de 2014, declarações que afirmam a consciência de erros cometidos.