cducaldasInopinadamente e sem qualquer justificação plausível, foram abatidas, na passada segunda-feira, dia 9 de Março, três árvores de grande porte, no parque de estacionamento junto ao coreto das Termas das Caldas de S. Jorge. Fazemos estas afirmações fundamentadas no facto destes três exemplares arbóreos não apresentarem qualquer problema fitossanitário ou estarem a interferir negativamente no espaço envolvente. Não deixa de ser surpreendente e lamentável o referido abate, como a foto junto comprova, perpetrado aparentemente por funcionários do Executivo da União das Freguesias das Caldas e Pigeiros. Numa zona turística, bastante sensível no que respeita à envolvência e à qualidade dos espaços de fruição pública que urge preservar e defender, estas intervenções não podem estar ao livre arbítrio de um qualquer presidente de junta.

Mas, por incrível que pareça, este novo atentado ambiental não se tratou de um caso isolado e fortuito no nosso Concelho. Recorrentemente sucedem-se no Município de Santa Maria da Feira com alguma frequência cortes e abates indiscriminados de árvores um pouco por todo o lado. Muito recentemente assim ocorreu na Zona Industrial do Roligo, em Espargo e mais grave ainda,junto ao Castelo de Stª Mª da Feira. Aqui e apesar de se tratar da intervenção de um proprietário privado, o abate foi feito sem o mínimo critério no que respeita à preservação da mancha verde envolvente de um monumento classificado como património nacional. O que ficou bem visível no local foi um sucateiro que ali desenvolve atividade de forma desregulada e sem fiscalização municipal.

Estes três casos mais recentes são a ponta do iceberg da questão aqui em apreço, pelo que a CDU / Feira denuncia e condena todos estes procedimentos e abates da nossa mancha florestal que lesam profundamente a qualidade de vida dos feirenses, indo mesmo em contraciclo com as iniciativas de muitos outros Municípios vizinhos que, ao invés, investem sim e defendem as suas Zonas Verdes, procedendo inclusive à ampliação dos seus espaços públicos arborizados.

A propósito, não deixa de ser sintomático e comprovativo dessa insensibilidade que a maioria PSD feirense, na última reunião da Assembleia Municipal, realizada no passado dia 27 de Fevereiro, mesmo concordando com os seus princípios, tenha inviabilizado, com uma série de desculpas esfarrapadas por mera cegueira e sectarismo político, a implementação de um Plano Verde Municipal, proposta agendada e apresentada pela CDU.

Mais do que quaisquer outros atos e manobras de marketing, são afinal estes pequenos gestos que definem o verdadeiro espírito democrático e a preocupação do Poder Local e dos seus titulares com a qualidade de vida e bem-estar das respectivas populações.

                                     EM DEFESA DO AMBIENTE E DAS ZONAS VERDES!

Comissão Coordenadora da CDU/ Stª Mª da Feira