image

Dizem às más línguas que nada será como antes… provavelmente  o comunicado  da juventude socialista feirense é uma espécie de manifesto contra a monarquia socialista cá da terra.
Só a irreverência típica da juventude é que permite dizer o que muitos querem e não conseguem…..

NÚCLEO DA JS FEIRA CRÍTICA FALTA DE RENOVAÇÃO NO PS FEIRA
O núcleo da JS Feira alerta para o facto de o PS Feira não facilitar uma participação activa dos jovens feirenses na política do concelho, sendo que o PS não tem sabido nem desejado, regenerar-se e aproveitar um conjunto de militantes mais jovens oriundos da JS de modo a aumentarmos a diversidade, trazermos novas ideias, sangue novo e até uma melhor representatividade do concelho.

Com todo o respeito por militantes consagrados como António Cardoso, Henrique Ferreira, Margarida Garizo, Strecht Monteiro, a JS admite que estes outrora contribuíram muito e bem, para o sucesso do partido e concelho mas assim continuaremos num caminho já trilhado, sem nada de novo e perdedor, perdido em devaneios e não conseguindo conduzir o partido a um período eleitoralmente positivo, já que o eleitorado feirense não se revê nestes ideais, como demonstrado nas sucessivas eleições, sendo assim impossível afirmarmos-nos como uma opção/alternativa ao PSD local. A este cenário geral, se destacam algumas escolhas caricatas a nível local mas que apresentam repercussões a nível nacional. Como é o caso de António Cardoso, o militante que após várias derrotas junto do eleitorado, o partido premeia com cargos como deputado na assembleia da república, em detrimento de jovens com qualidade na sociedade como era o caso de Márcio Correia. A deceção e o desânimo são crescentes, quando agora para 2017 fala-se em Margarida Garizo, que é uma candidata seria, trabalhadora, mas sem empatia e perfil para ser uma candidata que entusiasme os feirenses a acreditar no PS, e muito menos uma escolha que corresponda à melhor representação do concelho e da sua diversidade de território e costumes. Neste contexto, a JS questiona se não seria o momento ideal para dar oportunidade a novos políticos dentro do PS, com trabalho já desenvolvido na sociedade feirense, dos quais se destacam Simão Cavaco, Márcio Correia, ou até mesmo, independentes como é o caso de Rodrigo Nunes, a poderem ser candidatos à Câmara Municipal pelo Partido Socialista. Torna-se fulcral, iniciar um movimento socialista no nosso concelho com mais força que o actual apresenta, com novas dinâmicas e novas lideranças, movimento esse que permita qualificar a democracia no nosso concelho, e possa colocar os jovens na linha da frente. Contudo, alguns dirigentes do PS Feira, em lugar de adoptar políticas progressistas, preferem insistir em culpabilizar os jovens socialistas por o partido nada fazer em Santa Maria da Feira. Estes dirigentes vêem a JS apenas como simples abanadores de bandeiras, e utilizam os jovens para justificar os maus resultados do partido a nível concelhio, e camuflar as suas debilidades politicas para que ninguém se pergunte se serão de facto as pessoas mais indicadas para os cargos que ocupam. É mais importante que nunca esclarecer quais são as prioridades do partido. Temos de estar unidos e coesos, no combate a este governo municipal, tendo uma política firme, e uma intervenção mais activa na sociedade, para com lucidez fazer com que o Partido Socialista ganhe, de uma vez por todas, credibilidade junto dos nossos munícipes. O PS não se pode resignar num projecto de continuidade, o momento politico actual exige um PS ao seu melhor nível, oferecendo a nível local uma oposição intransigente, que apenas se conseguirá com a tão desejada renovação geracional. É fulcral construir uma agenda política mais eficaz, sendo que isso só será possível com uma verdadeira reestruturação e renovação, apostando em novas pessoas que ainda têm tanto para dar.

O Secretariado do Núcleo da JS Feira